Jéssica Jones

Uma super-heroína secundária do universo Marvel e que assim como Demolidor ganhou sua série na Netflix.

Totalmente diferente de um herói comum, ela é uma detetive particular “esquentadinha”, alcoólatra e com super-poderes.

Jéssica sofre de Estresse Pós-Traumático, isso porque se envolveu em um relacionamento abusivo com um mega vilão capaz de comandar as pessoas por voz e é obcecado por Jessica.

Ela tenta superar seu passado e seguir com a vida, trabalhando e bebendo, muito! Ele, porém, parece não ter desistido de Jéssica.

A série é muito boa e eu acho incrível que seja sobre uma super-heroína. Contudo seus personagens são muito intensos e o drama na série é muito forte, tanto que a deixa um pouco cansativa, mas não vai te fazer perder o interesse. A série também apresenta Luke Cage, outro que também ganhou série na Netflix (breve resenha)

No dia oito de março estreia a segunda temporada e não imagino um dia mais perfeito. O que você acha de aproveitar e já começar a acompanhar a série?

Deixem nos comentários se gostaram da indicação de hoje! Vamos adorar saber. Beijos e até o próximo!

Anúncios

Somos mulheres!

large (1)

(Imagem via The Daily Obsession)

Ela acordou mais cedo do que de costume. Tomou banho. Vestiu a calça jeans preferida e o All Star surrado. Preparou o café, colocou comida para Chelsea, sua gata folgada, pegou a bolsa e saiu para o trabalho.

No caminho assobiaram duas vezes quando ela passou. No trabalho o chefe não escutou suas ideias, mas aprovou as do colega que não tinham sentido algum. Voltou para casa e deitada no sofá, junto de sua gata, deixou sua mente divagar para longe. Lembrou da infância, quando queria brincar na rua com os meninos, subir nas árvores, mas seu pai não deixava, não era coisa de menina. Queria ser astronauta, engenheira, mas não era trabalho para menina. Hoje ela saiu do emprego que não tinha voz, para aceitar o cargo de engenheira chefe em outra empresa!

Ana, Joana, Fernanda, Luiza… tantos nomes ela tem. Pode ser eu, você ou aquela professora que a muito desistiu da carreira, pode ser a vizinha que tem dois empregos para cuidar dos filhos, pode ser a amiga que casou ontem, a irmã que teve o coração partido por algum idiota, pode ser a blogueira que você admira, pode ser a mãe, que faria tudo pela filha… todas MULHERES! Assim mesmo, com letra maiúscula!

Somos mulheres! Que amam, que sofrem, sorriem, se emocionam, acreditam no impossível, não desistem de seus sonhos e lutam até o fim! Somos reais! Somos humanas! Erramos e mesmo quando ninguém parece se importar, acertamos. Somos poderosas. Somos únicas. Aprendemos que a cada dia temos mais força, mais voz e ainda que não acreditem em nossa capacidade, nós sabemos do que somos capazes, nunca perdemos a fé em nós mesmas.

Nós somos mulheres e vamos dominar o mundo! Você duvida?

***

Acompanhem o blog! Vamos ter posts todos os dias do mês em homenagem ao mês das mulheres! Deixem sugestões e a opinião de vocês, vamos adorar saber! Beijos, até o próximo post.

O tempo passa…

IMG_5597

(Imagem via Brandon Woelfel)

… não! O tempo voa mesmo e com jatos propulsores!

No começo do mês escutei em um comercial na TV: “especial dez anos de Crepúsculo” e só consegui pensar: opa! Espera aí! Como assim dez anos? Dez anos? Mas parece que foi ontem quando eu ganhei meu primeiro livro. O tempo decolou anos luz a frente e eu nem vi passar, ou eu vi.

Ok, não estamos aqui para discutir quem gosta ou não de Crepúsculo, mas é que descobri o livro junto um momento importante da minha vida: meu primeiro emprego aos 16 anos, sim vou completar 26 anos em março e parei para pensar: o que eu fiz da vida? O que eu construí? Sabem, ao invés de me desesperar, eu AGRADECI! Porque embora não tenha grandes bens materiais, eu tenho a melhor coisa do mundo e por sinal um dos meus grandes sonhos: Minha Família!

Sabe quando você é criança e escolhe três desejos, caso um gênio apareça, um deles eu tenho bem aqui comigo, todos os dias, o que me faz pensar: nada pode me impedir de alcançar os outros não é mesmo? Dentro desses dez anos, dentro dessa vida toda, ganhei o maior dos presentes, minha filha e ela é a maior realização que eu poderia ter.

Tenho mais dois desejos que agora, mais do que nunca, queimam no meu coração e não vou desistir deles, afinal devo isso aquela garotinha que sentava no quintal com um lápis e borracha e escrevia sem parar sobre sua vida. Devo isso a garotinha que queria conhecer o mundo todo e ler todos os livros que existissem. A garota que ia para faculdade, falaria todas as línguas que existissem e trabalharia com o que mais amava. Talvez alguns sonhos mudem ao longo da vida, porque amadurecemos, melhoramos, vivemos situações que nos transformam e nos fazem partir em outra direção.

Contudo o importante é viver a vida de uma forma que quando mais dez anos se passarem, possamos olhar para trás e ver que se não pudemos realizar algo, ao menos, tentamos, amamos e nunca deixamos de sonhar!

 

3 filmes sobre trabalho com 3 grandes atores!

filmes

(Imagem via Linked In)

Hoje eu estava pensando na volta ao trabalho depois da “Licença Maternidade”, no quanto será dolorido a separação da minha pequenina, mas deixando isso para outro post, lembrei de três filmes maravilhosos sobre relacionamentos no trabalho. O quanto às vezes é muito difícil lidar com certas situações e principalmente pessoas, mas sempre é possível erguer a cabeça, seguir em frente e aprender.

odiabovesteprada

(Imagem via Adoro Cinema – Copyright D.R.)

O Diabo Veste Prada 

Um dos meus filmes preferidos da vida. Você já teve um chefe que parecia sugar sua vida? Miranda com toda certeza estaria na lista do “Quero Matar Meu Chefe”. Andrea Sachs (Anne Hathaway) é uma jornalista que consegue um emprego como assistente de Miranda Priestly (Meryl Streep), principal executiva da revista Runaway, e ainda ainda que lhe digam que aquele é o trabalho dos sonhos, ela descobre que não é bem assim. Miranda é horrível ao tratar qualquer pessoa, todos na revista morrem de medo dela, contudo, ao invés de se lamentar ou desistir, Andrea decide se reinventar, aprender e ser melhor do que jamais pensou. Às vezes é preciso engolir alguns sapos para subir na vida, mas sem nunca deixar de ser você mesmo!

senhorestagiario_21

(Imagem via Cine Pop)

Um Senhor Estagiário

Mais um filme com a querida Anne Hathaway e ninguém menos que Robert de Niro que vive o aposentado Ben Whittaker a procura de um emprego para mudar seus dias e claro com o ideal de que sempre temos algo a aprender ele acaba indo trabalhar como estagiário na empresa de Jules Ostin (Anne) e inesperadamente surpreende a todos ali. O filme é incrível e divertido. Às vezes é preciso dar um chance para conhecer as pessoas e se arriscar a viver diferentes oportunidades. Nunca é tarde para tentar algo novo.

manhã gloriosa

(Imagem via Paramount Pictures)

Uma Manhã Gloriosa

Rachel McAdams vive Becky Fuller uma produtora de televisão que tem como grande missão revitalizar um programa que todos davam como perdido. Entre muitas mudanças para alavancar a audiência do programa, Becky demite o âncora e convoca Mike Pomeroy (Harrison Ford) um renomado jornalista, também conhecido como a terceira pior pessoa do mundo. Esse filme também é sobre o quanto é difícil trabalhar com as pessoas, mas como podemos tocar a vida delas sem perceber, causando mudanças para elas e para nós mesmos. O filme também demonstra que dedicação e esforço levam ao êxito, mas não podemos deixar de ser felizes e viver nossas vidas por isso.

Era para Sempre

Processed with VSCO with e8 preset

(Imagem via Brandon Woelfel)
Se me dissessem a alguns anos atrás que tudo terminaria dessa forma, eu diria que estavam todos loucos. Se me dissessem a anos atrás que não saberíamos mais nada uns dos outros e que nos conheceríamos somente por redes sociais, eu daria gargalhadas e diria: impossível. Hoje percebo que realmente existe um fim, que realmente não sabemos mais nada uns dos outros, que aquilo tudo que compartilhamos acabou, simplesmente se foi.

Sinto falta de uma época em que não se podia contar os ombros que estariam por perto para te ouvir chorar, assim como não se podia contar quantos “palhaços” estavam dispostos a tudo para te ver sorrir. Sinto falta de poder compartilhar as melhores coisas da minha vida com as melhores pessoas que conheci. Sinto falta de poder dizer-lhes o quão chato seria viver sem qualquer um deles.

Só eu posso dizer o quanto sinto falta dos meus antes chamsdos amigos, família, hoje apenas conhecidos. Como sinto de não poder ter a chance de dizer-lhes que nada, nunca poderá substituí-los, pois eles sempre foram únicos em suas formas e seus jeitos. Eles estarão sempre presentes em minhas memórias e fazem parte de momentos únicos da minha vida.

Meus amigos sempre serão eternos dentro do meu coração ainda que o tempo passe, as marcas que cada um deixou em mim estarão aqui muito bem guardadas “debaixo de sete chaves.”